Arquivo

conto

Adoro quando ele implora
Ajoelhado na minha frente, ou atrás
Suspirando pela minha atenção
Salivando pelo meu sexo.
Adoro quando ele rasteja
Sem orgulho algum se humilha
Suporta meu desprezo
E vem como um cachorrinho medroso
Se esgueirando, relando na minha perna
As mãos temerosas subindo atrevidas pelas minhas coxas
A boca sedenta se abrindo para me chupar
Apavorado com a possibilidade de receber um chute
Mas fascinado demais para se afastar
Enfeitiçado demais para não tentar.
Anúncios

aaaaAcordei quase num susto, o coração acelerado e o membro doendo de tão duro. Foi tão real aquele sonho, tão intenso, cada detalhe permanecia vívido em minha mente, seu sabor em minha boca, o cheiro de sua pele inundava meu quarto. Estava com minha esposa numa festa, conversávamos com algumas pessoas quando você chegou e, ao primeiro olhar, parece que todo meu corpo se acendeu de desejo por você.

A saia jeans, a blusinha branca, o sorriso tão menina e tão lascivo aos mesmo tempo; você passa sorrindo por mim e em mim o sangue ferve, o desejo me incendeia. Minha esposa me beija, esfregando-se em mim; ela gosta da sensação de roçar as coxas no meu pau duro; mas nem imagina a razão de eu já estar com a barraca armada.

A festa rola, a música alta, você dança… e de repente me vejo sozinho com minha esposa conversando com outras pessoas. Não penso duas vezes e vou na sua direção, você me vê e parece fugir de mim; mas não é fugindo que vc está… está me levando pra onde você quer.

Te alcanço, te empurro contra a parede e te beijo com tamanha vontade que mal respiro. Você arranha minhas costas, chupo sua língua, você se contorce de prazer, minhas mãos sobem pelas suas coxas levantando sua saia. Sua calcinha minuscula não consegue impedir que meus dedos deslizem na sua xana que já lateja molhada de desejo. Você também sente presa, abre o zíper de minha calça e esfrega minha vara na sua buceta me querendo todinho dentro de você.

Mas eu quero degustar você todinha, me desespero tentando abrir os botões de sua blusa e acabo arrebetando os botões pra ter o prazer de beijar seus seios maravilhosos. Seus mamilos lindos e rijos me dão água na boca e eu sugo com força seus seios, mordisco seus mamilos adoro te ouvir gemer no meu ouvido. É então que você quase grita: “me fode logo!” e encaixa minha vara na sua buceta e morde meu pescoço pra não gritar quando eu começo a te foder com vontade.

A saia erguida até a cintura, a calcinha de ladinho sem incomodar minha vara atolando gostoso na sua xana, a blusa aberta deixando seus seios balançado no ritmo de nossa trepada, suas pernas enlaçadas na minha cintura, suas unhas cravadas nas minhas costase nossos gemidos que só não se ouvem quando nos beijamos loucamente. “Vem… me fode com força, do jeito que eu gosto!” – Você mal respira, uiva de prazer com minha vara entrando cada vez mais fundo na sua buceta.

Te seguro pelos cabelos, arremeto com violência dentro de você, lágrimas escorrem pelo seu rosto e você começa gemer mais alto gozando no meu pau. Dou um beijão na sua boca chupando sua língua, te seguro pela bunda, meus dedos roçam no seu rabinho e pela última vez te faço gritar metendo com força na sua buceta; porque logo meus corpo todo estremece, se contorce e eu urro como um bicho jorrando dentro de você.

E foi assim.. gozando… que eu acordei.

Ela olhou para o lado para ter certeza de não havia ninguém reparando neles, então puxou o barra do shortinho de malha para o lado diante do olhar incrédulo dele e ainda disse como se precisasse: “olha!”.

mmm
Ele, cumprindo a risca a promessa de não aproximar demais só suspirou de olhos vidrados: “que bucetinha linda você tem”. Ela sorriu  e rearrumou o short ignorando os apelos dele para deixá-lo ver mais um pouquinho.

Cheguei em casa.

Fechei a garagem, brinquei um pouco e depois prendi os cachorros.Dei um beijo em minha namorada (um pouquinho indiferente, confesso) e fui tomar um banho.Sai do banho e, ainda enrolado na toalha, arregalei os olhos ao ver ela delirando de prazer enquanto se masturbava deitada no sofá da sala.

A surpresa estampada em meu rosto fez ela sorrir e, enquanto ainda se tocava e gemia, me disse: “Humm amor, adorei ver esse misto de surpresa e prazer no seu olhar”.

Quando eu avancei sobre ela beijando-a, ela me perguntou sorrindo: “O que mais faria você me olhar assim?”.

“Te surpreender na cama com outra mulher… me faria te olhar assim também!” – falei sem pensar enquanto afundava o rosto entre as coxas dele.Enquanto lambuzava o rosto naquela buceta deliciosa a ouvi gemer alto e dizer: “Seu safado!”

Adoro quando ele implora

Ajoelhado na minha frente, ou atrás

Suspirando pela minha atenção Imagem1a

Salivando pelo meu sexo.

Adoro quando ele rasteja

Sem orgulho alguma se humilha

Suporta meu desprezo

E vem como um cachorrinho medroso

Se esgueirando, relando na minha perna

As mãos temerosas subindo atrevidas pelas minhas coxas

A boca sedenta se abrindo para me chupar

Apavorado com a possibilidade de receber um chute

Mas fascinado demais para se afastar

Enfeitiçado demais para não tentar.

 

SSS

“Eu estou ficando louca”

É o que diz Luísa falando e sorrindo sozinha.

Sem saber o que fazer para fazer passar o tempo pega uma revista e foleia com os pensamentos agitados.

Ondas de calor passeiam pelo corpo dela, sente os mamilos rígidos e a vagina aquecer dentro da menor de suas calcinhas.

Pensa em pegar o telefone e ligar para ele não vir,

“Mas é tarde demais” – ela diz para si mesma desculpando-se assim por não ter coragem nem vontade

Há quanto tempo esperava pela coragem e pela oportunidade

Sim, sempre negou, mas sempre quis.

Sinal de mensagem no celular e ela lê: “estou subindo”.

Ela se arrepia, pensa em vestir alguma coisa, mas prometeu que estaria assim, só de calcinha.

Ela sorri, está nervosa

Nervosa já esteve mais, mas nunca antes tão excitada

Sente o coração acelerar, a vagina latejar.

Ouve o som da campainha e se dirige para a porta sem pressa

Mordendo os lábios com a mais deliciosa das ansiedades

“Hora de se divertir sua safada”.

Viu-a eandandonvolvido num ar de superioridade tão falso quanto uma nota de cinqüenta em sua carteira no final do mês e foi logo a detestando em seu pensamento secreto enquanto seu olhar escancaradamente a cobiçava deixando claro que em matéria de mulher quem manda é o olhar que dispara o gatilho que faz pulsar toda a máquina que ameaça desfalecer se o nariz não cheirar o perfume e a língua não provar o gosto e a mão não tocar a pele e o corpo não se apertar contra o dela que passa sem notar e bem faz em fingir que não vê o jeito bobo dele que mesmo assim ainda insiste em achá-la metida talvez dando razão para o ditado que diz que quem desdenha quer comprar.

"Entre Aspas"

"Sempre conservei uma aspa à esquerda e à direita de mim" ─ C. L.

Hasifmustafa's Blog

Just another WordPress.com weblog

bohemian.on.rye

The website of Katie Pugh, writer

The Happy Logophile

... obsessed with words for more than thirty years.

Julie Foucher | Reebok CrossFit Games Athlete

Musings of Medicine and Muscles by Julie Foucher

sethsnap

Photographs from my world.

matando o anjo da casa

salomepontocoelho

Raquel Varela

Historiadora Labour Historian

LIVE SHOWS PORTUGAL

Música em movimento

anagabigabriela - eu e meus pitacos sobre a vida

Meus dias, safadeza, agonia e poesia; afinal, o que me move é querer mais um segundo com você.

Sophysticada

Meus dias, safadeza, agonia e poesia; afinal, o que me move é querer mais um segundo com você.

O Sussurrar do Corpo

Meus dias, safadeza, agonia e poesia; afinal, o que me move é querer mais um segundo com você.

la femme, la douce

Meus dias, safadeza, agonia e poesia; afinal, o que me move é querer mais um segundo com você.

MEU SONHAR

Meus dias, safadeza, agonia e poesia; afinal, o que me move é querer mais um segundo com você.